domingo, 24 de setembro de 2017

NOVA TEMPORADA DE SOUTH PARK


Animação politicamente incorreta e muito ácida estreia a 21a Temporada. Como de costume, South Park ultrapassará todos os limites de sanidade e levando os fãs a loucura. Logo no primeiro episódio, protestantes com tochas e bandeiras confederadas tomam a cidade, enquanto Randy finalmente tenta entender o que significa ser branco na sociedade atual. 

Estreia amanhã, segunda-feira, 25 de setembro, 23h00

FAIR PLAY NO FUTEBOL, EXISTE?

Linha de Impedimento # 09
Comentário veiculado na jornada esportiva da Rádio Carioca Futebol.


sábado, 23 de setembro de 2017

CELULAR NA SALA DE AULA É NECESSIDADE

Steve Case, criador da AOL, ao ler o desenvolvimento da internet nos últimos trinta anos divide o tempo em três fases que chama de ondas. A onda da conexão primeira, do uso da rede apenas como leitura, da segunda fase, das mídias sociais e do ambiente colaborativo e a última da internet de tudo. Tudo conectado. Nesta onda que penetra todos os lados, os professores possuem, de maneira particular um ótimo terreno a seu favor. O uso do celular em sala de aula como apoio a atividades. Em vez de tratar a conexão como problema, olhada-la como instrumento auxiliar. Não é uma extensão da sala de aula, mas é um espaço diferenciado, com um código de linguagem próprio que, se rizomado, conecta (para usar a palavra) novas possibilidades. A linguagem é a língua em curso, segundo Bakhtin, e as diferentes ciberlinguagens não podem ser ignoradas. Resistir é ignorar o mundo, resistir é a própria ignorância. Ir em direção a, superando o senso raso que há nestes espaços e promovendo reflexões sobre e para... 

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

BACHARELADO EM TEOLOGIA


GÊNERO É POLÍTICA


Teoria & Pesquisa – Revista de Ciência Política (ISSN: 2236-0107), publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, divulga chamada de artigos e resenhas de livros para seu dossiê temático “Gênero é Política”.
O dossiê receberá trabalhos submetidos em português, inglês ou espanhol até o dia 15 de outubro de 2017. Confira as regras de submissão no link ao final desta chamada.
Gênero é um dos eixos centrais que organiza as experiências no mundo social e uma primeira forma de dar sentido à realidade. As relações de gênero se convertem em relações reguladoras fundamentais em todas as formações sociais e políticas.
Partindo da compreensão de que gênero é o resultado de forças sociais e de relações de poder, entende-se o caráter eminentemente político dos estudos de gênero.

O intuito deste dossiê é reunir trabalhos resultantes de pesquisas que abordem a temática de gênero em suas múltiplas dimensões, em confluência com categorias centrais acionadas para a análise do universo da política: diversidade, igualdade, democracia, cidadania, participação, representação, espaço público, movimentos sociais, justiça, legislação, dominação, moral, comunicação, ou em conjunto com outros marcadores sociais que envolvem questões de classe, raça/cor e sexualidade.
Mais informações no site da Teoria & Pesquisa.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

ELIMINAÇÃO SEM DOR

Pílulas do dia seguinte

Há tempos que uma derrota (mesmo no empate) como de ontem os muros do Parque São Jorge estariam pichados. O aeroporto tomado por gritos intimidadores e a imprensa decretaria o fim de uma “era”. Quem bom que superamos esta barbárie. Mas ainda não justifica diante da eliminação. Foi apenas um chute certeiro ao gol. Posse de bola infrutífera e destempero em campo. Jogo violente e pesado de se ver. Mas a eliminação tem um bom lado, concentrar forças na competição nacional e retomar o entrosamento de toque que encantou os olhos no primeiro semestre. Aquela parada de agosto fez o time perder-se, principalmente na meia cancha. Volantes, meias e apoiadores das laterais são peças integradas de um time. Mas quando o zagueiro (Pablo #3) é eleito o melhor jogador do time, algo de errado grita.


Classificados para as quartas-de-finais: (Brasil) Flamengo; Fluminense e Sport Recife | (Paraguai) Libertad e Nacional | (Colômbia) Junior Barranquila | (Argentina) Independiente e Racing

LIBERDADE DE EXPRESSÃO É OUTRA COISA...

Em dias de intolerância e raiva pelas redes virtuais, comecei o dia visualizando esta postagem no Instagram:


instagram.com/hellengeremia

REVISTA SOFIA - LANÇAMENTO E CHAMADA PARA NOVO NÚMERO


LANÇAMENTO - REVISTA SOFIA
A Revista Sofia (ISSN: 2317-2339), periódico Qualis B1 vinculado ao Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), divulga o lançamento de seu novo número, o "Dossiê Ética e Política", vol. 1.
Confiram em: http://www.periodicos.ufes.br/sofia/index

CHAMADA - REVISTA SOFIA
A Revista Sofia (ISSN: 2317-2339), está com chamada para submissões de artigos para o "Dossiê Epistemologia", previsto para ser publicado no primeiro semestre de 2018. O prazo final para submissão dos trabalhos é 31 de março de 2018.

Veja instruções em: http://www.periodicos.ufes.br/sofia/index
Estão tod@s convidad@s a colaborar.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

LA MANO DE JÔ

Pílulas do dia seguinte

Não há fair play no futebol. Estranho a tamanha repercussão a espera de honestidade no campo de futebol. Adorei a pergunta do jornalista da Globo no pós-jogo ao atacante do Corinthians quando retomou a questão do Rodrigo Caio, entretanto, a atitude de Rodrigo Caio, no jogo entre São Paulo e Corinthians, pelo Paulistão deste ano, foi um ponto fora da curva. É óbvio que gostaria de ver atitudes de hombridade no futebol e respeito, mas se não há fair play com a bola devolvendo-a longe do lance parado, quiçá em gol, mesmo com mão? E o árbitro de linha que validou tudo? Polemiza-se em torno de um lance e o resto do jogo é ignorado, bem como as entrevistas e justificas estapafúrdias. Um gol de mão não anula os tantos pênaltis não marcados. Inclusive um neste jogo, mas parece que os urubus de plantão conseguem selecionar um erro específico para polemizar. Ambos erros direcionaram o placar do jogo. Pelo visto Fair Play é apenas para seu time. Fair Play também passa pelo comentário cretino do zagueiro vascaíno, “Rodrigo Caio foi ético e o São Paulo está brigando para não cair; Jô não foi e o Corinthians vai ser campeão. Assim é o Brasil”... Não, o Brasil não é assim, assim são os desonestos que buscam seus outros a justificativas dos próprios erros. Assim são os créditos que naturalizam os erros e aqueles que não assume que colocam a mão na bola.


Classificação: 1. Corinthians 53 | 2. Grêmio 43 | 3. Santos 41 | 4. Flamengo 38 | 9. Vasco 31 (ignorando o resultado de Palmeiras x Coritiba)




Jô marca gol polêmico na Arena Corinthians... por LANCETV

COLÓQUIO CRENÇA RELIGIOSA


A CRENÇA RELIGIOSA, enquanto uma atitude ou estado mental dos agentes, independentemente de sua expressão em tradições religiosas específicas, tem despertado o interesse de pesquisadores de diferentes áreas, tais como, filosofia, neurociência, psicologia cognitiva e antropologia. É também notável a disposição dos pesquisadores em transitar por esses diferentes domínios. Essa postura se deve, em parte, à complexidade do fenômeno. Dentre os problemas que aí se colocam, destacam-se o caráter aderente e memorável dessas crenças, assim como sua ampla disseminação entre os agentes, em que pesem seu traço reflexivo e variedade doxástica. O objetivo do colóquio é trazer àtona algumas dessas abordagens, para que a crença religiosa possa ser analisada em seus diferentes aspectos.


Objetivo
Apresentar diferentes abordagens sobre a crença religiosa


Justificativa
Nos últimos anos, é crescente o interesse de pesquisadores, de diferentes áreas, sobre a crença religiosa. No entanto, todo esse conhecimento que vem sendo produzido ainda é pouco divulgado entre os pesquisadores brasileiros que se situam na linha de filosofia da religião. O objetivo é divulgar esse conhecimento e, de modo mais preciso, apresentar a crença religiosa em seus diferentes aspectos.



Destinatários
 Estudantes de graduação e pós-graduação de Filosofia


Inscrição e Investimento
http://bit.ly/2wxbLU5

YOUTUBERS SUCESSO E FRACASSO

texto 1:
O relato de um youtuber fracassado

Começamos com uma simples pergunta: O que é sucesso para você? Muitos poderão responder que é ter uma vida financeiramente estabilizada e ter conforto financeiro. Poucos outros vão dizer que é ser feliz naquilo que faz. O que eu acho sobre isso? Para mim para você ser uma pessoa de sucesso, você tem que ser feliz, acima de tudo. Dinheiro traz felicidade? Isso não funciona para mim. Eu dou valor as coisas que não se podem comprar. Eu acredito que um homem ou mulher de sucesso, é aquele que é reconhecido, naquilo que faz. Posso citar vários nomes aqui, mas pelos nomes citados, algumas pessoas já vão descobrir quem eu sou, portanto, prefiro o anonimato.

Já que estávamos falando em reconhecimento, vamos voltar ao assunto principal desse relato, que é o Youtube e também o meu fracasso. Eu decidi começar o canal com apenas uma razão: fazer as pessoas rirem. ( Acreditem ou não, esse era o motivo. ) Eu peguei o que eu mais sabia fazer, que era fazer as pessoas rirem e decidi abrir um canal fazendo as coisas que gosto. Os sonhadores e credores vão dizer que isso que é o mais importante fazer o que gosta e o sucesso é conseqüência. Não para o Youtube, mas pode funcionar em outras coisas.
Fazer o que você gosta é uma forma mais humana e menos estressante de criar conteúdo, mas não é a forma mais “sucessível” para os youtubers. Muitos dos famosos têm o conteúdo de seus canais, não por que gostam, mas por que dá dinheiro. Muitos dos famosos youtubers, usam clickbaits, imagens chamativas, técnicas de marketing e habilidades de controle de público. Ao mesmo tempo que o Felipe Neto “acusa” os youtubers de fazerem isso, ele também critica. Então todo aquele papo de que: “ Fazendo o que gosta, com o tempo você vai vencer e seu canal será tão grande quanto o do Whinderson Nunes.” Isso não existe, nem mesmo para eles.

Os youtubers se vendem para campanhas, para marcas, para a televisão, para tudo. Eles começam a fazer vídeos que os patrocinadores os obrigam a fazer, ignorando completamente o público que os acompanha, desde a época “Não-famosa”.

Um grande exemplo disso, é Mr.Poladoful. Um cara que era um gamer, suas gameplays eram as mais engraçadas já existentes. O canal dele cresceu e se estabilizou com as gameplays e do nada, ele resolveu mudar para vlogs e coisas triviais que não me interessam nem um pouco. É bom mudar? É ótimo fazer mudanças… Mas não esquecer a base inicial é a maior das virtudes.

Texto completo: Os verdadeiros youtubers, 19.out.2016

texto 2
Youtuber  Empreendedor: Felipe Neto lança novo livro

Terceiro maior youtuber do país (essa semana ele chegou a ficar em segundo, mas já foi ultrapassado), Felipe Neto é um case de sucesso entre os influenciadores digitais. Com mais de 13,821 milhões de inscritos no canal, o sétimo de humor mais assistido do mundo, o youtuber se reinventou e conseguiu voltar ao auge depois de ter sumido da rede social por um tempo - coisa que o próprio Youtube reconheceu ser um fato inédito. 

Embalado pelo lançamento de seu novo livro, Felipe Neto – a trajetória de um dos maiores Youtubers do Brasil, que esteve entre os mais vendidos na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, Felipe Neto estará em Florianópolis neste sábado (16), às 11h, para uma sessão de autógrafos no Beiramar Shopping. As senhas já estão esgotadas e ele vai receber 1 mil fãs - os 600 primeiros terão direito a autógrafo e foto, e os demais 400 receberão um carimbo com o autógrafo do Youtuber e foto. 

O livro na verdade uma espécie de almanaque, em que Felipe Neto conta sua história desde a infância até hoje, passando por como decidiu criar um canal, ainda quando o Youtube era um território inexplorado no Brasil, e como teve que se reinventar para continuar sendo relevante para o público na web.  

— Ele é diferente, não é um livro como a gente está acostumado. Nosso objetivo era agradar as crianças e os adultos, porque meu público tem uma faixa de idade muito diversificada. Então a gente teve a ideia de fazer esse livro com jogos, histórias, brincadeiras, textos meus, e minha trajetória de vida — conta o youtuber em papo por telefone.

Felipe Neto ficou famoso pelos vídeos do antigo Não Faz Sentido, em que disparava comentários ácidos sobre qualquer assunto, xingando muito na internet. Porém, após ter passado um tempo longe da rede social cuidando de sua produtora Parafernalha, vendida em 2015 para um grupo internacional, ele percebeu que o antigo personagem já não era mais tão interessante assim. 

—   Percebi que precisava apresentar um novo Felipe, que não precisa xingar ou falar palavrão. Foi muito estudo, muito aprendizado, muito foco em entender o mundo louco e como estava funcionando a mente do jovem hoje, o que eles estavam consumindo, pensando diferentes maneiras de me comunicar com eles. Fui aprendendo com isso o que agradava e não agradava, moldando meu conteúdo para que ele unisse o que eu mais amo fazer e o que eles mais amam ver — explica o youtuber empreendedor, que mudou radicalmente o estilo dos vídeos. 


Texto completo: Diário Catarinense, 15.set.2017